Atividade – Águas Brancas / Rios 2018-01-05T19:34:54+00:00

Águas Brancas / Rios

A atividade como um todo é denominada Águas Brancas, pois as corredeiras tem águas brancas. É também utilizado o termo Águas Bravas derivado do espanhol. Podemos destacar cinco tipos de modalidades:

  • Rafting é a atividade de descida em botes infláveis em corredeiras fluviais;
  • Canoagem de águas brancas é a atividade de descer corredeiras em caiaques. Existem duas principais modalidades, descida de rio e rodeio (que é brincar com o caiaque em uma onda do rio);
  • Duck o nome é originário do patinho o nome é originário do patinho de borracha que se usa na banheira para crianças. É um caiaque inflável para descer rios com corredeiras até classe IV;
  • Bóia Cross é uma descida em câmaras infláveis em rios pequenos e com corredeiras fracas;
  • Aqua ride é uma evolução do bóia cross onde a câmara é recoberta com uma capa ou até pode ser uma bóia construída especialmente em PVC. A bóia fica com um formato oval o que facilita as manobras possibilitando descer até classe III.

Equipamento Completo de Segurança

  • Capacetes com resistência adequada a impactos, com proteção para orelhas e furos na lateral e em cima.
  • Coletes com flutuação mínima de 12 kg (uma pessoa de até 120 kg) para o rafting e 10 kg (uma pessoa de até 100 kg) para o bóia cross, com aba para a cabeça. Coletes infantis deverão ser específicos para o tamanho e idade do praticante.
    O colete, além da função principal de flutuar, serve para proteger a pessoa de impactos. Portanto, é importante que seja um colete que proteja as laterais do corpo.
Todo o equipamento de proteção individual deve estar em dentro de seu prazo de validade, em bom estado, e limpo. Uma verificação sistemática e regular deve ser feita em todo o equipamento, inclusive dos condutores do circuito.

Coluna do Especialista

    Boa prática 1

    Comunique o condutor sobre suas limitações físicas e sobre sua experiência na atividade. Direcione qualquer dúvida à equipe contratada e garanta que entendeu bem o funcionamento de cada equipamento.

    pagaiando da Vindicio a Sperlonga e ritorno

    Boa prática 2

    Confirme se o prestador de serviço tem um plano para atendimentos de emergência, incluindo procedimentos de primeiros socorros e métodos de retirada e transporte da vítima.

    Boa prática 3

    Ao fechar o pacote, exija sempre seguro e nota fiscal!

    Equipamentos específicos para a prática da atividade:

        • Botes, caiaques, câmaras infláveis, etc deverão ter tamanho de acordo com nível do rio e da atividade;
        • Corda de resgate de aproximadamente 15 m. O guia de rafting deverá estar equipado com capacete, colete contendo apito, faca com bainha e lamina máxima de 15 cm., flip-line (fita de cintura) com corda ou fita tubular presa a 1 mosquetão com trava, dois mosquetões sobressalentes com trava e roldana (não é fundamental para rios onde é fácil o acesso por terra) para resgate e fixação de acessórios;
        • Kit 1ºs socorros em um dos botes, ou um sistema de apoio em terra, com equipamentos de primeiros socorros e resgate à disposição;
        • Garantia de comunicação entre a equipe no rio e o sistema de apoio;
        • Presença de pelo menos uma embarcação de segurança, para cada cinco botes ou dez bóias em operação;

    Dependendo do sistema de segurança implantado os próprios botes podem fazer a segurança.

     

    O guia de rafting deve ter no colete:

        • Apito;
        • Faca;
        • Corda de resgate aproximadamente 15 m. que pode estar presa no colete ou no bote;
        • 2 mosquetões no mínimo. Os mosquetões que ficam a mostra devem ter trava;
        • Roldana (s) se o rio for de difícil acesso ou com grande risco DO BOTE ficar preso nas pedras (para resgate e fixação de acessórios);
        • Flip – line (fita de cintura com mosquetão com trava utilizado pelo guia ).
    O praticante deve ser informado sobre os níveis de dificuldade do circuito e consultado se possui alguma experiência na atividade. Também deve ser perguntado ao praticante sobre sua condição física geral.
    A qualquer momento, deve ser feita demonstração da utilização dos equipamentos e procedimentos de segurança.
    Deve ser dada a oportunidade para que o praticante possa desistir do percurso, caso tenha algum problema ou dificuldade (física e/ou psicológica).
    Em situações em que essa oportunidade for inviável, como por exemplo, atividades de longa duração ou em canions, o praticante deve ser informado da impossibilidade de se desistir no meio do percurso.

    Principais riscos da atividade:

    • Afogamentos
    • Fraturas
    • Pequenas escoriações

    Dicas de segurança

    • Utilizar todos os equipamentos necessários em bom estado de uso e conservação, como as fitas e clipes que fecham os coletes e capacetes;
    • Praticar e desenvolver a atividade com profissionais experientes, procurando empresas com pelo menos 5 anos de atividade;
    • Procurar operadoras legalmente constituídas, exigir seguro e nota fiscal dos serviços;

    Procure saber o que é oferecido nos preços praticados por cada operadora, pois o barato pode sair muito caro, ou seja, quem cobra muito barato tem equipamentos baratos e guias baratos. Os bons equipamentos de rafting são caros.
    O circuito
    Os prestadores de serviço devem observar as seguintes condições do circuito:

    • O circuito deve ter pontos adequados e preparados para evacuação, utilizando métodos adequados e disponíveis;
    • O nível de dificuldade do circuito deve ser informado levando-se em consideração a época do ano;
    • O embarque e desembarque do praticante no rio, quando necessário, será feito em bases comuns a todos os operadores, construídas em suas margens de acordo com as legislações ambientais. Sugere-se a saída e chegada em praias ou lajes de pedra provocando menor impacto ambiental.
    Supervisão e operação da atividade
    • Os usuários deverão sempre estar amparados por um condutor especializado e comprovadamente conhecedor da atividade.
    • Um supervisor ou coordenador da operação, maior de 18 anos, deve sempre estar presente.
    • O condutor deve ser competente para identificar as limitações do praticante e limitar sua participação quando necessário, expondo claramente os motivos para o mesmo, respeitando sua privacidade perante aos demais.
    • Todos os usuários devem ser considerados iniciantes e inexperientes, até se provar o contrário.
    • O coordenador / monitor deve ter conhecimento detalhado da operação, pontos críticos e suas saídas de emergência.
    • A quantidade de pessoas que serão acompanhadas pela equipe de operação depende do tipo de embarcação, tipos e dificuldades do circuito, devendo ser previsto um máximo de 07 clientes por guia de rafting simultaneamente.
    • A equipe de operação deve obrigatoriamente ter conhecimentos de atendimento emergencial e primeiros socorros.
    • O prestador de serviço deve ter um plano para atendimentos de emergência (preparado previamente), constando: procedimentos de primeiros socorros, métodos de retirada e transporte da vítima e local de destino (caso o local não possua um centro médico adequado).

    Arvorismo_by jjjj56cp
    Arvorismo_by Jorge
    Você é prestador de turismo?

    Conheça as normas de segurança, certifique-se e seja nosso parceiro!

    Vai viajar?

    Confira dicas de lugares para a prática de atividades em Rios e Águas Brancas:

    A conexão do Turismo de Aventura com a natureza faz do Brasil um lugar perfeito para diversas práticas, temos muitos circuitos de aventura a serem explorados:
    • Manaus – AM
    • Monte Roraima – RR
    • Santarém – PA
    • Porto Velho – RO
    • Lençóis Maranhenses – MA
    • Serra do Capivari – PI
    • Fortaleza – CE
    • Natal – RN
    • Araruna – PB
    • Recife – PE
    • Delmiro Gouveia – AL
    • Jalapão – TO
    [/fusion_builder_column_inner]
    • Chapada Diamantina – BA
    • Chapada dos Guimarães – MT
    • Chapada dos Veadeiros – GO
    • Bonito – MS
    • Serra do Cipó – MG
    • Domingo Martins – ES
    • Rio de Janeiro – RJ
    • Socorro – SP
    • Brotas – SP
    • Foz do Iguaçu – PR
    • Florianópolis – SC
    • Serras Gaúchas – RS

    Para verificar se uma empresa de turismo é registrada, consulte o site do Ministério do Turismo www.cadastur.turismo.gov.br