Atividade – Caminhada 2018-01-05T19:36:42+00:00

Caminhada

Atividade em ambientes naturais, com diversos graus de dificuldade, buscando a contemplação e superação dos limites pessoais, as caminhadas podem ser guiadas, ou autoguiadas. A caminhada pode ser realizada por qualquer pessoa, em qualquer idade e deve estar sempre acompanhada de alguma motivação, seja física ou psíquica. Podemos classificar a atividade em:

  • Caminhada curta (Hiking)
    Pequenas caminhadas contemplativas, com grau de dificuldade leve, de um dia de duração, onde o ponto de partida e de chegada geralmente é o mesmo. O pernoite é feito em pousadas ou hotéis e usa-se uma estrutura pré-determinada para alimentação e transporte do grupo, caso haja necessidade.
  • Caminhada de Travessia (Trekking)
    Caminhadas longas, entre dois pontos, onde o objetivo é atingir o local proposto, podendo durar vários dias, geralmente utilizando-se de acampamentos. Todo o equipamento de acampamento deve ser levado pelo grupo ou por uma equipe de apoio.
  • Caminhada de Regularidade
    Percurso pré-determinado, não conhecido pelos participantes, onde o que importa é manter-se no percurso correto e realizá-lo no tempo determinado, utilizando planilhas com velocidades médias, distâncias e símbolo-referência.
  • Caminhada de Velocidade
    Utiliza cartas de navegação e bússola, determinando-se antecipadamente onde estão localizados os postos de controle. O objetivo é alcançá-los no menor tempo possível, desde que observem se a ordem dos postos de controle que deverão ser seguidos cronologicamente. Esta prática é a mesma usada na atividade de orientação.

Equipamento Completo de Segurança

  • Calçados leves, que permitam a respiração da pele e tenha solado capaz de tracionar em qualquer tipo de terreno.
  • No caso de caminhadas mais longas, também são indicadas botas, que protegem o tornozelo, reforçam o calcanhar e o bico do pé.

  • Caminhadas mais longas necessitam de uma quantidade maior de roupas (no mínimo duas trocas inteiras), material para cozinha, lanternas, fogareiro, barraca, saco de dormir, bússola, canivete, muita água, boné, protetor solar, repelente de insetos, kit de primeiros socorros, tênis ou bota para caminhada.
  • É indicado também levar cerca de 10 metros de corda de 10 a 15 mm de espessura.
Os equipamentos necessários para percorrer trilhas curtas, são basicamente equipamentos de uso pessoal, cantil e alimentação para 1 dia. O importante é utilizar acessórios que ofereçam resistência, durabilidade e conforto, principalmente aos pés.

Coluna do Especialista

    Montanhismo by Mladen Jablanovic CC

    Boa prática 1

    Manter-se sempre junto ao grupo.

    Boa prática 2

    Usar roupas adequadas.

    Boa prática 3

    Somente percorrer as trilhas acompanhado de guia.

    Principais riscos da atividade

    Os principais riscos são quedas, fraturas, luxações. A atividade não é indicada para pessoas sedentárias ou com pouco condicionamento físico.

    O praticante deve controlar a temperatura do corpo para evitar hipotermia. Também deve conhecer o mapa do local a ser explorado para evitar se perder durante a trilha.

    Dicas de segurança

    O ato de caminhar por si só é bastante simples, mas quando se busca novos desafios é importante que as viagens sejam bem programadas, exista uma logística especial e você esteja com um bom condicionamentos físico e psicológico. Tenha em mente que caminhar na cidade é bem diferente de caminhar em trilhas ou estradas de terra, principalmente se você possui uma mochila para carregar. Os obstáculos são diferentes, a musculatura utilizada é dife – rente, seu centro de gravidade e de equilíbrio mudam ao ter um peso às costas.

    Antes de iniciar e ao final de uma caminhada é necessário que seja feito um alongamento que estique músculos das pernas, braços e costas, principalmente.

    Durante a caminhada, as paradas para descanso devem ser programadas e se possível não devem demorar mais do que 10 minutos, evitando assim que o corpo esfrie e seu ritmo caia muito. Em regiões de altitude ou em temperaturas mais baixas, a perda de calor em uma parada será facilmente percebida. Inicie uma caminhada em ritmo lento até que sinta que seu corpo está suficientemente aquecido e relaxado. Não force o ritmo, você pode comprometer todo o restante da viagem. Mantenha sempre uma mesma passada, respeitando o condicionamento de cada pessoa. Em subidas utilize mais os braços como se eles dessem impulsão, nas descidas abra mais a passada (caso o terreno permita). Caminhar em média 4 a 5 km por hora, é considerada uma boa média para grupos heterogêneos.

    • Somente percorrer as trilhas acompanhado de guia ou condutores e seguir suas instruções;
    • Ser auto-suficiente no grupo;
    • Conhecer locais onde possam ser socorridos caso algum acidente ocorra;
    • Usar adequadamente a mochila, incluindo os equipamentos necessários;
    • Usar roupas adequadas;
    • Usar calçados adequados e já utilizados anteriormente;
    • Manter-se sempre junto ao grupo;
    • Respeitar a natureza e seus limites pessoais.

    Tenha sempre em mente a direção a ser seguida, a direção em que se deve ir. A crista de uma serra ou o seu divisor de águas tende a ser o local com menos obstáculos e que permite uma maior visibilidade da trilha. Acompanhar o contorno das serras pode exigir algum esforço, mas ganha tempo e oferece visuais que não poderiam ser apreciados de outro lugar.

    Ao caminhar em matas fechadas é importante ter algum tipo de referencial. Por ser um ambiente que não favorece a visualização da trilha, torna-se muitas vezes desconfortável e tende a diminuir o ritmo de caminhada do grupo. Ao programar alguma atividade que passe neste tipo de lugar, e que principalmente seja pouco visitado, previna-se quanto a horário e a uma possível abertura de trilha.

    Ao se defrontar com um curso d’água é importante que você veja a viabilidade de sua transposição. Não se deve tentar cruzar um curso d’água com correnteza, onde a profundidade ultrapasse a linha de seus joelhos. Apesar de ser possível, coloca em risco a integridade das pessoas, principalmente se for um curso d’água com leito forrado por pedras. Tenha bastante cuidado, se possível utilize cordas para auxiliar na transposição. Fique sempre atento ao regime de chuvas, pois uma tromba d’água pode causar sérios acidentes.

    Serão considerados “Condutores de Caminhadas” os profissionais que possuírem o devido licenciamento específico para essas modalidades emitido pela AGETUR depois de avaliação prévia, sendo ele responsável por:

    • Organizar e fiscalizar a logística de toda a operação;
    • Limitar a participação a, no máximo, 10 (dez) praticantes para cada condutor;
    • Verificar se estão corretos e as condições de manutenção de todos os equipamentos individuais e coletivos necessários para a operação;
    • Conduzir o grupo de praticantes dentro das normas corretas de mínimo impacto;
    • Ter conhecimento e prestar os primeiros socorros a qualquer praticante que se acidente;
    • Estabelecer planos prévios de emergência para eventuais resgates e escapes necessários em caso de acidentes;
    • Redigir minucioso relatório dos acidentes ou incidentes que porventura ocorram.
    Arvorismo_by jjjj56cp
    Arvorismo_by Jorge
    Você é prestador de turismo?

    Conheça as normas de segurança, certifique-se e seja nosso parceiro!

    Vai viajar?

    Confira dicas de lugares para a prática da Caminhada:

    A conexão da Caminhada com a natureza faz do Brasil um lugar perfeito para a prática, temos diversos circuitos de aventura a serem explorados:
    • Manaus – AM
    • Monte Roraima – RR
    • Santarém – PA
    • Porto Velho – RO
    • Lençóis Maranhenses – MA
    • Serra do Capivari – PI
    • Fortaleza – CE
    • Natal – RN
    • Araruna – PB
    • Recife – PE
    • Delmiro Gouveia – AL
    • Jalapão – TO
    [/fusion_builder_column_inner]
    • Chapada Diamantina – BA
    • Chapada dos Guimarães – MT
    • Chapada dos Veadeiros – GO
    • Bonito – MS
    • Serra do Cipó – MG
    • Domingo Martins – ES
    • Rio de Janeiro – RJ
    • Socorro – SP
    • Brotas – SP
    • Foz do Iguaçu – PR
    • Florianópolis – SC
    • Serras Gaúchas – RS

    Para verificar se uma empresa de turismo é registrada, consulte o site do Ministério do Turismo www.cadastur.turismo.gov.br