Atividade – Espelhos d’água 2018-11-29T15:47:37+00:00

Espelhos d'água

Com um clima extremamente agradável, o Brasil possui em qualquer ambiente, um espelho d’água; seja uma bela praia, um grande lago ou rio, ou mesmo uma piscina em uma pousada ou hotel.
Sunset on Megyeri bridge Budapest

Boa prática 1

Atenção para pedras próximas à água, que possuem limo e são escorregadias. Não mergulhe em águas turvas e lodosas. Emaranhados de troncos e galhos podem prender o nadador no fundo.

Sunset on Megyeri bridge Budapest

Boa prática 2

Não deixe crianças brincando na água sem um responsável por perto.

Sunset on Megyeri bridge Budapest

Boa prática 3

Em hipótese alguma salte de cabeça em locais desconhecidos, muitas pessoas acabam se machucando gravemente em locais rasos desta maneira.

Orientação em Espelhos d’Água
Todo espelho d’água freqüentado para banho deve ser protegido por Guarda- Vidas. O Guarda-Vidas é um profissional treinado para proteger o banhista, orientando quanto ao local mais seguro e agindo em caso de emergências.
Sua competência básica é a prevenção do afogamento, socorro a afogados ou outras emergências junto aos banhistas.
Muitos estados do Brasil exigem por lei que clubes, hotéis ou parques públicos que possuam piscinas, disponham de um serviço de proteção com Guarda-vidas.

Independente da lei estabeleça este serviço em seu empreendimento e crie um diferencial de qualidade.

Sinalize com destaque as diferentes profundidades dos espelhos d’água situados dentro e próximos de seu empreendimento, alertando sobre os riscos de mergulhos (áreas rasas) ou afogamentos (áreas mais profundas) bem como alertando para que os pais mantenham atenção em suas crianças.

As placas de perigo e atenção deverão estar localizadas em lugares de fácil visualização e mantidas em bom estado.

  • Mantenha o deck à volta da piscina limpo, livre de objetos cortantes, de vidro ou que possam criar perigo de um tropeção;
  • Mantenha eletrodomésticos ou outros utensílios elétricos longe da piscina;
  • Mantenha próximo à piscina e à vista equipamentos salva vidas, como por exemplo, mastro sólido e bóia salva-vidas com corda;
  • Não execute adaptação elétrica e exposta próxima à piscina;
  • Faça um programa de manutenção e tratamento adequado da piscina;
  • Sinalize nas bordas da piscina sua profundidade;
  • Sempre que forem oferecidas atividades recreativas, elas devem ser acompanhadas pelo monitor de lazer do empreendimento.

Orientações ao usuário:

  • Não deixe crianças brincando na piscina sem um responsável por perto;
  • Não deixe brinquedos em volta ou dentro da piscina;
  • Evite e proíba brincadeiras do tipo empurrar pessoas ou “cavalinho”
  • Não permita que crianças corram ao redor das piscinas.

Mais informações sobre cuidados em piscinas aqui.

Se o seu empreendimento estiver localizado na orla marítima, estabeleça junto à capitania dos portos, delegacia ou agência marítima, um local separado e identificado para as embarcações motorizadas.

Independente de sua responsabilidade cuide para que seus clientes não corram risco de serem atropelados por embarcações de terceiros.

Orientações ao usuário:

  • Não nade muito distante da praia e evite locais profundos, pois ninguém está livre de um mal estar ou mesmo câimbras na água;
  • Não se aproxime de pedras e costeira. Elas abrigam valas e correntezas perigosas;
  • Caso sinta “o mar puxando”, mantenha a calma e nade paralelamente a praia, pois as correntezas em geral são limitadas e terminam logo após a região de arrebentação das ondas;
  • Afaste-se de costeiras e pedras que costumam ser escorregadias e sujeitas ao sabor das ondas;
  • Em caso de tempestades saia da orla e procure abrigo junto a construções;
  • Caso presencie um afogamento, em hipótese alguma entre na água para tentar o salvamento. Chame o Guarda-Vidas que possui habilidade e treinamento específico. Enquanto isso procure elementos flutuantes como bóias, caixas de isopor, garrafas de refrigerante tipo pet, e atire para a vítima.

Orientações ao usuário:

  • Evite locais profundos e longe da margem, por risco de câimbra ou mal estar;
  • Não mergulhe em águas turvas e lodosas. Emaranhados de troncos e galhos podem prender o nadador no fundo;
  • Em hipótese alguma salte de cabeça em locais desconhecidos, muitas pessoas acabam se machucando gravemente em locais rasos desta maneira;
  • Atenção para pedras próximas à água, que possuem limo e são escorregadias;
  • Verifique a profundidade do local antes de entrar na água;

Princípios de primeiros socorros


Exija sempre a presença de um salva vidas ou faça um curso de primeiros socorros para garantir o suporte básico em caso de ocorrência.
Em caso de afogamento:

  • Coloque o acidentado fora da água o mais rápido possível;
  • Aqueça o acidentado;
  • Deite a vítima de costas, se possível com a cabeça mais baixa do que o corpo;
  • Inicie a respiração boca a boca;
  • Vire a cabeça da vítima para o lado, em caso de vômito;
  • Remova imediatamente a vítima para o Hospital mais próximo.

Em caso de traumatismo:

  • Imobilize o acidentado;
  • Mantenha sempre reta e imobilizada a cabeça da vítima;
  • Evite aglomeração em torno do acidentado;

Em qualquer caso, chame ajuda imediatamente, acionando o serviço de salvamento mais próximo ou o Corpo de Bombeiros (193) ou o serviço de emergência da Secretaria da Saúde do Município (192).

Mais informações:

SOBRASA – Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático
Anapp-Associação Nacional dos Fabricantes e Construtores de Piscinas e Produtos Afins

Para verificar se uma empresa de turismo é registrada, consulte o site do Ministério do Turismo www.cadastur.turismo.gov.br