Loading...

PERIGO NAS CACHOEIRAS

Cachoeiras são uma das maiores atrações naturais do Brasil, visitadas frequentemente para ser apreciada a sua beleza ou se banharem nas suas águas. No entanto, são também palco de vários acidentes fatais que atingem todas as faixas etárias: apenas este ano, 2020, houve três mortes numa família após uma cabeça d’água, um jovem de 23 anos morto após ter escorregado e caído de 100 metros, um adolescente de 13 anos que morreu após bater com a cabeça em uma pedra depois de ter saltado da cachoeira, entre outras fatalidades.

Os perigos são iminentes e é importante recordar alguns cuidados a ter na visita e usufruto das cachoeiras, independentemente da idade.

Não se esqueça de baixar o app “Eu Vivi” para Google Play

O Aplicativo Eu Vivi Esta Experiência é uma ferramenta inédita de mapeamento da segurança em atividades turísticas. Nosso objetivo é orientar o turista e os profissionais de turismo sobre a importância de identificar riscos e prevenir acidentes, garantindo, assim, segurança e tranquilidade para suas viagens.

Sua experiência foi positiva? Aproveite para valorizar o trabalho de profissionais que atuam com segurança!

Teve uma viagem frustrada? Não deixe que sua experiência seja em vão! Registre situações de risco e acidentes que você presenciou e contribua para evitar que outras pessoas virem vítimas da negligência e da falta de preparo técnico.

Agora que já conhece nosso app, vamos às dicas!

AS 8 REGRAS DE OURO DA SEGURANÇA EM CACHOEIRAS

  1. Respeitar o guarda-vidas do local, evitando as áreas que apresentem risco de queda e não caminhar em trilhas que apresentem sinais ou avisos de perigo;

  2. Não permanecer na água caso esteja mau tempo;

  3. Se sentir uma cabeça d’água a iniciar-se, sair pelo lado mais prático e seguro e esperar até a cabeça d’água terminar;

  4. Dar preferência a sapatilhas emborrachadas, com solo próprio para este tipo de locais, pois os chinelos de dedo não são firmes o suficiente e escorregam facilmente;

  5. Evitar as bebidas alcoólicas antes de visitar uma cachoeira – é importante estarmos no nosso estado de maior consciência para antecipar perigos;

  6. Supervisionar sempre as crianças no local;

  7. Ao mergulhar, supervisionar bem o local – há pedras que, na profundidade da água, podem não ser facilmente visíveis – evite também mergulhar em águas demasiado geladas, devido ao choque térmico que pode acontecer;

  8. Ao caminhar por obstáculos naturais mais difíceis, utilize também as mãos para auxiliar a passagem ao invés de saltar.

VOCÊ JÁ SE ACIDENTOU EM UMA VIAGEM? PODEMOS AJUDAR.

Criada em 2002, a Associação Férias Vivas surgiu a partir de uma dolorosa constatação pessoal: a negligência e a falta de infraestrutura adequada podem transformar em pesadelo os mais desejados momentos de lazer. Fala-se em tragédia e casos fortuitos, mas estamos aqui para provar que essas ocorrências são fruto da falta de planejamento e do descaso com a qualidade do serviço.

Da perplexidade partimos para a luta – e hoje já contabilizamos um elenco expressivo de ações voltadas para a implantação de um turismo consciente, dando suporte e orientação tanto para o prestador de serviço como para o viajante.

Fale conosco: contato@feriasvivas.org.br | 11 5051-4160

INSPIRAÇÃO

Deixamos recomendações de algumas das cachoeiras mais bonitas do Brasil, com trilhas diversas para as suas visitas, onde poderá apreciar a beleza refrescante da natureza brasileira:

Cachoeira da Fumaça, Bahia – Parque Nacional da Chapada Diamantina;
Cachoeira do Tabuleiro, Minas Gerais – Parque Municipal do Tabuleiro;
Cachoeira de Santa Bárbara, Goiás – Chapada dos Veadeiros;
Cachoeira de São Romão, Maranhão – Chapada das Mesas;
Cachoeira do Itiquira, Formosa – Parque Municipal do Itiquira.

ÚLTIMOS ARTIGOS

Capítulo 1 – Como proporcionar segurança e acessibilidade

Quando nós falamos em acessibilidade, grande parte das pessoas imagina que se trata apenas de adaptações feitas em locais públicos para garantir que pessoas com diversos tipos de deficiências sejam incluídas na sociedade. Como, por exemplo, as rampas de acesso em calçadas para cadeirantes ou a utilização de dispositivos de voz para deficientes visuais.

2020-05-07T15:34:11-03:00
Ir ao Topo