Loading...

APRENDIZADO E CAPACITAÇÃO

Entre os dias 25 a 28 fevereiro de 2019, ocorreu a 2ª edição do curso de “Competências Básicas do Condutor de Turismo de Aventura. ABNT NBR 15.285 – Líderes Competência de Pessoal”, em Florianópolis.

O curso foi organizado por Luis Marcelo Rodrigues, Diretor Técnico da “Nomas – Descobrir é Preciso” e parceiro Férias Vivas. Com a participação de guias turísticos e outros profissionais da área de turismo,  buscou capacitar e mostrar para os profissionais presentes, a importância da segurança nas atividades, usando de recursos baseado nas Normas Técnicas ABNT, como boas práticas seguras de condução nas atividades de turismo de aventura.

Além disso, o curso visou aprimorar as habilidades dos condutores, como liderança, planejamento, análise de riscos e resolução de crises, entre outras técnicas indispensáveis para o exercício de suas atividades.

SEGURANÇA É O DIFERENCIAL

O conhecimento das normas e leis que englobam o turismo no Brasil é muito importante. Os profissionais que trabalham aplicando as mesmas possuem um diferencial, e se tornam exemplos de comprometimento no trabalho exercido e no cuidado com os clientes.

Projetos como esse mostram o quão necessário é para os profissionais terem esses conhecimentos e aplicá-los em suas atividades.

“A Nomas conseguiu expressar a importância da segurança no Turismo em geral, dando ênfase às regras da ABNT, necessárias para um profissional de excelência, preocupando-se com o aprendizado dos participantes. As saídas em campo também especial. Recomendo, muito bom”.

VERA REGINA MACHADO, Bombinhas, SC

“Como pesquisador em Arqueoastromia e idealizador/monitor de uma trilha Arqueológica, aprendi no curso (…) que devemos ter todo cuidado na condução de pessoas, e para isso fazer planejamento das atividades, fazer perícia do percurso de antemão, prever possíveis riscos de acidentes e recorrer às Normas da ABNT  NBR 15.285 para proporcionar um turismo de qualidade, sustentável e com segurança. Aprendi também que existe o código de conduta de atividades turismo e lazer, por meio da publicação da Associação Férias Vivas, e um aplicativo para denunciar ou elogiar atividades vinculadas ao turismo e lazer”.

ADNIR ANTONIO RAMOS, Florianópolis, SC

“O Curso de Competências Básicas do Condutor de Turismo de Aventura amplia nossa visão e os conhecimentos deste segmento do turismo. A constatação indiscutível da necessidade de adequação das estruturas usadas para essas atividades e a qualificação da mão de obra se torna uma constante ao longo do curso. O alerta para a adoção de práticas seguras, a necessidade de conhecimento técnico e das normas de referência são também um ponto forte. O estudo sobre Gestão de Riscos nesta capacitação vale-se de ferramentas na forma de planilhas para avaliação das atividades de aventura: os riscos envolvidos, probabilidades de ocorrências de acidentes, possíveis danos e consequências – relacionados a diferentes níveis; opções de tratamento e o controle operacional necessário como o uso de equipamentos de segurança e ou procedimentos indispensáveis para as diversas operações. Num ambiente de acolhimento e companheirismo, adquiri muito conhecimento sobre o turismo de aventura, sempre com vistas a aumentar a segurança dos participantes e ao crescimento deste segmento do turismo no nosso país. Curso excelente! O Luis passa muita informação que certamente irei aplicar nas minhas próximas atividades. Experiência enriquecedora que levo para a vida!”

LUCENA ROSA SANGINETO, Porto Alegre, RS

“A capacitação na gestão de riscos no Turismo de Aventura proporcionou um olhar mais crítico sobre os perigos desta atividade; ajudando nas definições técnicas de formas de detecção e tratamento do problema. As ferramentas irão minimizar a probabilidade de danos de todos graus causados aos participantes desta atividade, poupando vidas, impacto familiar e custos sociais.”

THOMAS OSTERMAYER, Campo Alegre, SC

“Busquei no Curso de Competências Básicas do Condutor de Turismo de Aventura -ABNT NBR 15.285 ampliar meus conhecimentos a fim de estar capacitado nas normas técnicas que regulam esta atividade. Minha empresa atua neste mercado desde 2005 e por critérios de responsabilidades com os clientes, desenvolvemos o sistema dois “SS” (Segurança e Satisfação) com o qual mantemos ZERO registro de acidentes. O professor Luis demonstrou estar bem capacitado a conduzir o vasto conteúdo previsto no período.”

VLADIMIR AVRAGOV NETO, Florianópolis, SC

“Acabo de participar de um Curso de Competências Básicas em Turismo de Aventura que muito contribuiu com a minha qualificação. Fiquei bastante satisfeita com o conteúdo apresentado onde pude ter a certeza de que os excessos nos cuidados com os participantes na verdade não são excessos, e sim obrigações. Foi possível saber sobre as leis existentes no caso de cometimento de imperícia, imprudência e negligência e que existem normas rigorosas a serem cumpridas para quem quer atuar nesse segmento, e também pessoas dedicadas em passar essa missão para frente.  O nosso foco é o ecoturismo e o turismo de base comunitária tendo a bicicleta como ferramenta dessa vivência . Recebo desde ciclistas superexperientes até pessoas que não estão acostumadas em transitar com a bicicleta em espaços abertos. Também estrangeiros de vários cantos do mundo com culturas muito diferentes. Então, além da extensa preleção que necessariamente deve ser realizada, é imperativo avaliar sobre a capacidade do participante em realmente poder participar daquela atividade. No curso ficou claro que para minimizar os riscos é extremamente importante que, além das qualificações necessárias aos fornecedores de serviço, a informação sobre as normas e riscos compreendidos nas diversas atividades cheguem ao maior número de participantes possível, de forma que possam escolher os melhores serviços e não se aventurarem pagando com a vida”.

MARLI LUISA JUAREZ Y SALES, Florianópolis, SC

ÚLTIMOS ARTIGOS

Capítulo 1 – Como proporcionar segurança e acessibilidade

Quando nós falamos em acessibilidade, grande parte das pessoas imagina que se trata apenas de adaptações feitas em locais públicos para garantir que pessoas com diversos tipos de deficiências sejam incluídas na sociedade. Como, por exemplo, as rampas de acesso em calçadas para cadeirantes ou a utilização de dispositivos de voz para deficientes visuais.

2020-04-20T21:14:13-03:00
Ir ao Topo