Do luto à luta 2018-11-01T15:45:05+00:00

Do luto à luta

A Associação Férias Vivas surgiu a partir de uma dolorosa constatação pessoal: a negligência e a falta de infraestrutura adequada podem transformar em pesadelo os mais desejados momentos de lazer. Fala-se em tragédia e casos fortuitos, mas estamos aqui para provar que essas ocorrências são fruto da falta de planejamento, de consciência de cidadania, de descaso com a qualidade do serviço.

Da perplexidade partimos para a luta –  e hoje já contabilizamos um elenco expressivo de ações voltadas para a implantação de um turismo consciente, dando suporte e orientação tanto para o prestador de serviço como para o viajante.

Nossa caminhada iniciou há 15 anos. E para seguir em frente precisamos reunir o maior número possível de pessoas que compartilhem a certeza de que as coisas podem ser melhores, mais justas, mais sérias.

Faça parte desse movimento!

Memórias de amigos e familiares

Carlos Pita

“Esperamos dos órgãos competentes, que fiscalizem os parques abertos ao público, destinados a ecoturismo e turismo de aventura, trilhas (trekking) e passeios em cachoeiras, que exijam sinalização de perigo nas trilhas precárias e nos pontos mais perigosos à vida humana, que exijam equipes de funcionários treinados a dar informações sobre os pontos perigosos ou mesmo impedir o acesso, que existam equipes de resgate permanentes e, muito importante: controle responsável na entrada e na saída dos parques. (more…)

Bruno Bissoli

“Venho por meio desta, denunciar o acidente fatal ocorrido em 14/04/2017 na Cachoeira dos Couros, localizada na Chapada dos Veadeiros, em região integrante do Município de Alto Paraíso de Goiás, no Estado de Goiás. Em razão de diversas irregularidades observadas no local e falhas imputáveis a diferentes responsáveis, conforme a seguir relatado, o jovem Bruno Cesar de Azeredo Bissoli se afogou nas águas da cachoeira em um trecho de acentuada profundidade e acabou falecendo.
(more…)

Victória Basile Zacharias

“Faz um tempo já que quero escrever a história desse dia. Isso tem me atormentado um pouco, porque parece que é necessário colocar em palavras claras e precisas aquilo que é anuviado pelo tempo, o que não sai de forma clara no verbo ditado. A escrita pode me ajudar, pois posso escolher melhor o que por no papel, apagar, reescrever, e só com o resultado final em mãos escolher mostrar para alguém ou não. Mas escrevo para mim ou para os outros?

(more…)

Juntos somos mais fortes

Maria Ângela de Paula
Movimento Saltando com Saúde

Alessandra Begalli Zamora
Movimento Vai Lucas

Paula Grechinski
ONG Parceiros do Mar

Buscando ajuda

Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT)

  • Notou mudanças importantes, nos relacionamentos com os outros, com algum sofrimento ou prejuízo na sua capacidade de se concentrar e trabalhar, causando perturbação também em outras áreas importantes de sua vida?
  • Teve recordações ou lembranças indesejadas sobre o evento, estando acordado, que causaram reações físicas, fisiológicas e sofrimento psicológico intenso?
  • Ou teve sonhos indesejados, angustiantes e repetitivos, relacionado com o evento?
  • Sentiu ou agiu como se tudo estivesse acontecendo novamente, como se fosse real (flashbacks)?
  • Evitou lugares, situações ou pessoas relacionadas com o evento, para evitar sentir angústia e sofrimento?
  • Tentou, persistentemente, evitar as memórias, lembranças, pensamentos e sentimentos angustiantes, ligadas ao evento?
  • Percebeu alterações negativas no seu humor e nas cognições relacionadas ao evento, com fortes crenças negativas sobre si mesmo, os outros e o mundo?
  • Notou grande diminuição de interesse em atividades que antes sentia prazer e gostava muito de fazer?
  • Sentiu bastante dificuldade em lembrar os principais aspectos do evento?
  • Notou dificuldades em sentir emoções positivas após o evento?
  • Teve sentimentos de medo, raiva, vergonha e culpa, relacionados ao evento?
  • Notou mudanças marcantes no comportamento, tendo surtos de raiva, irritabilidade, agressão física ou verbal, comportamento imprudente ou autodestrutivo?
  • Passou a ficar alerta e vigilante, com resposta de sobressalto exagerada e ter problemas para adormecer ou para manter o sono?

Caso tenha respondido SIM a várias das perguntas acima, você provavelmente está apresentando os sintomas de TEPT.
Entre em contato com um profissional para uma avaliação. A maioria das pessoas desconhece o diagnóstico, e sofrem em silêncio por muito tempo, sem receber tratamento adequado!

Leia Mais Aqui

Grupos de Apoio ao Luto

Consultórios e Clínicas Psicológicas especializados em Luto