Eixos trabalhados

Cultura da Segurança

Atendimento e experiência turística

Regulamentação e legislação

Gestão de Crises

Gerenciamento de Riscos

RECOMENDAÇÕES INTERNACIONAIS DE SINALIZAÇÃO

Quando um turista está explorando um novo ambiente, a sinalização se torna uma ferramenta fundamental para sua orientação, contribuindo com o trabalho dos guias e orientadores do destino. Portanto, é importante projetar a sinalização de acordo com os requisitos de acesso em cada local.

Empresas privadas e gestores públicos que demonstram interesse no desenvolvimento da atividade turística com segurança, devem oferecer informações  precisas, relevantes e oportunas para seus clientes, antes, durante e mesmo depois da atividade. Garantir informações corretas através da sinalização é sem dúvida a chave para a comunicação de sucesso com visitantes em todas as etapas de seu percurso.

No Brasil, ainda há muito a ser trabalhado em termos de sinalização turística. Se você busca mais referências de como desenvolver a sinalização no seu destino turístico, confira o conteúdo que preparamos a seguir. 

Esse artigo tem como base apresentar referências externas que norteiam recomendações de segurança turística em âmbito mundial.

Os atrativos turísticos do seu destino já seguem essas recomendações?

Os atrativos turísticos do seu destino já seguem essas recomendações?

Para construir um destino seguro é necessário analisar diversos fatores para obter resultados satisfatórios no final deste processo. Ainda que seja uma caminhada trabalhosa, ela é possível e podemos te ajudar nessa jornada!

Como os prestadores de serviços turísticos lidam com o público o tempo todo, investir em sinalização não é apenas uma boa prática de negócio, mas também uma forma prudente de lidar com suas obrigações legais para com o público.

A existência de uma placa que foi lida pelos turistas, pois foi colocada em um lugar bem visível, pode ajudar você a garantir que os viajantes tenham consciência sobre as atividades proibidas ou imprudentes.

Ainda que não exista um guia internacional de padrões de sinalização no turismo, a OMT (Organização Mundial do Turismo) se propôs a criar um documento base para orientar processos de segurança no turismo para destinos turísticos ao redor do mundo. Essas orientações estabelecem dicas para melhorar a comunicação visual das sinalizações turísticas. 

  • Use materiais  duráveis, ​​certificando-se de que a sinalização estará bem iluminada;
  • Use o mesmo design para as sinalizações do mesmo ambiente para facilitar a percepção dos usuários;
  • Considere o tamanho e a altura da sinalização dependendo da distância em que serão visualizadas;
  • Certifique-se de que as informações sejam fornecidas com contraste suficiente e fundo adequado;
  • Inclua imagens claras e diretas para explicar importantes informações;
  • Considere envolver formatos inclusivos em suas sinalizações, como letras em relevo e Braille, para ajudar navegação ou fornecer sistemas alternativos de orientação para todas as pessoas.

A partir dessas dicas é possível perceber se seu projeto de sinalização turística já pratica essas recomendações previstas pela OMT. Se você ainda sente falta de algum aspecto, é hora de trabalharmos nisso!

Vale lembrar que cada destino necessita de um processo de identificação individual para atingir necessidades específicas que possam ser encontradas durante o período de análise em termos de vulnerabilidades na segurança. 

É importante também conhecer os turistas que frequentam seu destino. Segundo a Southern Cross University (School of Business and Tourism da Austrália), a identificação do seu público é essencial para direcionar a linguagem do seu projeto de sinalização dentro de um atrativo específico.

A comunicação persuasiva raramente é eficaz por si só para impactar o comportamento que é malicioso ou intencionalmente ilegal ou de alto risco. 

Identifique se o turista é um visitante regular ou um visitante de primeira vez. Visitantes regulares familiarizados com uma área e atividade são menos propensos a ler sinais; os visitantes de primeira viagem são mais propensos a ler as placas e aprender mais. 

 Idade, sexo e outros atributos sociodemográficos são importantes de serem observados. Por exemplo, a idade pode afetar a acuidade visual, o que pode, por sua vez, influenciar a eficácia dos sinais de alerta. 

Comunicação e Sinalização

O uso de mídias alternativas de sinalização podem ter como objetivo aumentar a eficácia dos sinais de segurança no local. As mensagens principais podem ser transmitidas juntamente com a interação dos visitantes.

Isso pode incluir:

Múltiplas mídias de sinalização que serão apresentadas em diferentes estágios de experiência do turista. Videos e imagens podem ser alternativas inovadoras na hora de apresentar informações importantes para os visitantes. Incluir casos reais para sensibilizar os participantes pode servir como ferramenta de convencimento para que todos sigam à risca as recomendações de segurança estabelecidas.

 AFV Consultoria

A AFV Consultoria se alinha com os parametros internacionais de recomendações sobre a sinalização turística e se dispõe a contribuir em projetos que visem princípios para a sinalização eficiente, do ponto de vista mais amplo da gestão de risco. Também faz parte do nosso trabalho desenvolver sistemas de melhoria na comunicação direta com os turistas e seu destino. 

Nós reconhecemos como prioridades quatro aspectos essenciais para sinalizações turísticas:

1. Sua sinalização pode ser notada pelo turista?

Para ser notado os sinais de segurança devem chamar atenção através do design escolhido e devem ser localizados em pontos estratégicos

2. O turista consegue captar a informação com facilidade?

O visitante conseguirá absorver a informação rapidamente se a sinalização incluir uma demonstração visual gráfica do perigo, palavras curtas e familiares, texto grande e bem espaçado, com uma mistura de maiúsculas e minúsculas e fontes de fácil leitura.

3. O turista compreende a importância da sinalização?

Para garantir a compreensão, a sinalização de segurança pode apresentar:

– A palavra sinal PERIGO ou AVISO, destacada em cores específicas para denotar o nível de perigo (vermelho e amarelo). 

– Um exemplo das possíveis consequências.

Instruções simples sobre como evitar o perigo. 

4. A sinalização os conscientiza a seguir as orientações à risca?

Para incentivar turistas a seguir à risca, os sinais de segurança devem estar localizados próximo ao local da ameaça. Também devem incluir símbolos de negação de barra circular.

Para garantir uma abordagem certeira à segurança do visitante, a sinalização e a comunicação devem ser gerenciadas dentro de um planejamento apropriado de sistema de gestão da segurança. 

Gostou do conteúdo e quer aumentar o seu repertório? Conheça casos reais e entenda como a sinalização pode evitar acidentes.

Sobre a consultoria

Silvia Basile

Constituída em 2002, a Associação Férias Vivas trabalhou na criação e elaboração de 41 Normas Técnicas ABNT NBR de Turismo de Aventura, sendo 17 Normas Técnicas internacionais ABNT NBR ISO, criando-se assim padrões de qualidade e segurança nas atividades de turismo de aventura no Brasil. Juntamente com 19 anos de atuação na área de conscientização e prevenção de acidentes no turismo, esta vivência proporcionou aos consultores da Associação Férias Vivas a capacidade analítica e a experiência prática para a implantação de projetos de gerenciamento de risco em destinos de turismo. A articulação desta entidade social com o setor público se faz eficaz ao comprovar que iniciativas de sensibilização e gestão da segurança são essenciais para o desenvolvimento responsável do turismo.

SAIBA MAIS
  • sbasile@feriasvivas.org.br

MAIS PROJETOS