Loading...

O RISCO NAS PISCINAS

Uma das atividades preferidas dos pequenos são as visitas às piscinas, sempre acompanhadas por supervisão dos adultos. Contudo, nem sempre tudo corre como o planejado. Uma notícia da revista Crescer mostrou que, de acordo com um levantamento realizado pela Sociedade Brasileira de Salvamento, 52% das mortes de crianças na faixa de 1 a 9 anos de idade ocorrem em piscinas, segundo o Boletim 2019. Além disso, no Brasil, o afogamento é a segunda maior causa de mortes entre crianças de 0 a 4 anos.

Na esperança de poder contribuir para redução desta elevada porcentagem de risco, a Associação Férias Vivas deixa aqui seis dicas para que corra tudo bem nesta atividade em família e para que você possa aproveitar ao máximo os passeios às piscinas com as crianças.

Não se esqueça de baixar o app “Eu Vivi” para Google Play

O Aplicativo Eu Vivi Esta Experiência é uma ferramenta inédita de mapeamento da segurança em atividades turísticas. Nosso objetivo é orientar o turista e os profissionais de turismo sobre a importância de identificar riscos e prevenir acidentes, garantindo, assim, segurança e tranquilidade para suas viagens.

Sua experiência foi positiva? Aproveite para valorizar o trabalho de profissionais que atuam com segurança!

Teve uma viagem frustrada? Não deixe que sua experiência seja em vão! Registre situações de risco e acidentes que você presenciou e contribua para evitar que outras pessoas virem vítimas da negligência e da falta de preparo técnico.

Agora que já conhece nosso app, vamos às dicas!

AS 6 DICAS DE SEGURANÇA QUE VOCÊ PRECISA SABER

1. Certifique-se de que o hotel cumpre a norma ABNT NBR 10339:2018

O nome é complexo de ter em mente mas, em resumo, esta norma menciona as medidas que os hotéis, parques aquáticos, resorts, condomínios e outros estabelecimentos com piscina devem seguir. Caso o espaço em causa seja certificado com esta norma brasileira, poderá sentir-se mais tranquilo.

2. Capas e alarmes são uma importante ajuda

Medidas complementares como capas próprias para piscina e alarmes são consideradas relevantes no que concerne à segurança das crianças.

3. É preciso ficar de olho nos mais novos

Parece uma verdade absoluta, mas nunca é demais reforçar a necessidade de manter vigilância sobre os mais novos, sobretudo quando há uma piscina por perto. Os pais nunca devem deixar as crianças sozinhas ou sob os cuidados de outras crianças.

4. A criança deve sempre usar uma bóia de segurança

Uma das recomendações obrigatórias passa pela utilização de uma bóia ou colete salva-vidas, mesmo quando estão fora da piscina. Nunca facilite a situação de perigo na proximidade de uma piscina.

5. Brinquedos podem ser uma distração

Não defendemos a sua proibição, mas todos os brinquedos ou qualquer atrativo perto do local, podem ser um fator de distração dentro d’água. É sempre necessário um especial cuidado quando há fatores de distração nas proximidades.

6. Isolamento da piscina infantil

Caso tenha possibilidade de escolher um local que garanta o isolamento de uma piscina infantil, deverá optar por essa possibilidade. Em caso de acidentes em atividades de turismo, entre em contato conosco!

VOCÊ JÁ PASSOU APUROS EM UMA VIAGEM?

Criada em 2002, a Associação Férias Vivas surgiu a partir de uma dolorosa constatação pessoal: a negligência e a falta de infraestrutura adequada podem transformar em pesadelo os mais desejados momentos de lazer. Fala-se em tragédia e casos fortuitos, mas estamos aqui para provar que essas ocorrências são fruto da falta de planejamento e do descaso com a qualidade do serviço.

Da perplexidade partimos para a luta – e hoje já contabilizamos um elenco expressivo de ações voltadas para a implantação de um turismo consciente, dando suporte e orientação tanto para o prestador de serviço como para o viajante.

Fale conosco: contato@feriasvivas.org.br | 11 5051-4160

ÚLTIMOS ARTIGOS

2020-04-21T00:20:09-03:00
Ir ao Topo