Project Description

SEGURANÇA TURÍSTICA EM BOTUCATU

Contexto

O ordenamento turístico da cidade de Botucatu é realizado pela Secretaria Adjunta de Turismo. Entre 2020 e 2022 houve uma forte vontade política da secretária Roberta Sogayar em desenvolver ações de estruturação do turismo, incluindo a renovação do arcabouço legal e a adoção das normas ABNT de segurança turística por parte dos empresários. Vale mencionar que a cidade já foi palco de acidentes fatais com turistas, em 2019, na Cachoeira Véu da Noiva. Já em 2021, uma turista precisou ser resgatada por helicóptero na Cachoeira da Pavuna. A maioria dos acidentes que foram registrados pela Associação Férias Vivas foram em atividades de cachoeira.

Levando em consideração que acidentes leves, graves ou fatais no turismo podem ser evitados com ações de sensibilização e ferramentas de gestão de riscos, foi iniciada uma iniciativa para realizar um programa de capacitação para os profissionais de turismo da região.

Em 2021, a Prefeitura de Botucatu iniciou uma nova fase do turismo na localidade, marcada pelo lançamento de uma nova logomarca: Botucatu, Apaixone-se, que ressalta as potências e vocações turísticas do município. Alinhado aos novos investimentos do setor, a Secretaria de Turismo buscou desenvolver políticas públicas para elevar a qualidade de seus atrativos e produtos turísticos. A clareza de que a excelência de um destino turístico só é alcançada pela oferta de atividades turísticas seguras fez com que a Secretaria buscasse a Férias Vivas Consultoria para desenvolver um conjunto de ações visando a maior segurança nas práticas turísticas e de lazer.

Desafio

A demanda local identificada foi a necessidade de uma visão compartilhada sobre a segurança turística, assim como a integração entre os empresários de turismo de aventura, hotelaria e cultura na cidade.

Solução

Foi proposta uma trilha formativa centrada na aplicação de conceitos de segurança em turismo na realidade dos atores do setor, com metodologia participativa e aderente aos desafios dos profissionais e suas experiências.

Inicialmente, foi realizado o reconhecimento do contexto local em relação às políticas públicas já existentes relacionadas ao turismo. Essas atividades incluíram entrevista com a secretária Roberta Sogayar e análise do Plano Diretor de Turismo e do Inventário de atrativos turísticos. Também foi considerado o calendário de ações realizadas pela Secretaria, de forma a garantir que a proposta fosse integrada as ações de sensibilização já programadas.

A trilha teve como foco: a ampliação de conceitos chave da segurança e sua aplicação nos serviços e práticas do dia a dia de quem está envolvido no setor de turismo, seja na oferta, no planejamento ou em atividades de apoio. Desenvolveu-se, assim, uma solução composta por 3 produtos que formam uma trilha de aprendizado.

Ação de conscientização e engajamento com foco na Cultura da Segurança, Turismo e Lazer (formato online com alcance estimado de 511 pessoas). O primeiro produto foi uma palestra online com o objetivo de desconstruir a visão de que acidentes são uma fatalidade. A ação buscou ampliar a visão sobre o que significa o acidente de turismo para a localidade e em seguida oferecer subsídios para que os participantes compreendam a relação das causas de acidentes e sua prevenção.

Ação de conscientização e engajamento da Segurança em Turismo para a excelência da oferta de serviços e produtos turísticos. O público-alvo foram empresários do setor e contou com 30 participantes. O segundo produto foi uma palestra presencial com foco no aperfeiçoamento da experiência turística a partir de uma lógica de excelência. Com exemplos concretos, foi demonstrado como oferecer qualidade antes, durante a após a prestação de serviços, sempre colocando o turista como prioridade. A principal mensagem passada foi como transformar acontecimentos negativos (acidentes) em processos de aprimoramento.

Ação de formação com foco em como aplicar de maneira prática os conceitos envolvidos no processo de Gerenciamento de Risco. Em modalidade presencial contou com 25 participantes entre empresários do setor ou de setores ligados ao atendimento ao turista. O terceiro produto foi voltado para a metodologia de gerenciamento de riscos preconizada pelo Sistema de Gestão da Segurança. Em formato de workshop, foi desmistificada a aplicação da ferramenta de análise de probabilidades e consquências que permite ao empresário priorizar os riscos que deverão ser tratados em primeiro plano. Esta ação contribuiu para engajar os participantes nesta importante etapa de profissionalização das atividades de turismo.

A Férias Vivas Consultoria entende que a mudança de cultura na segurança e na área de prevenção de acidentes em turismo e lazer é um processo contínuo e por isso propôs um ciclo de três ações integradas para iniciar esse processo no município que incluísse ações de grande abrangência, não apenas daqueles diretamente ligados às atividades turísticas e de lazer, mas qualquer pessoa do município, já que se trata de uma mudança de paradigma, portanto as políticas públicas devem incluir a sociedade como um todo.

A Férias Vivas Consultoria aplicou metodologias ativas de aprendizagem, partindo de casos reais e situações práticas que envolvem os acidentes e as situações de risco que estavam sempre relacionadas à realidade dos atrativos e atividades desenvolvidas na localidade. Nessa trilha, os participantes caminharam por diversas temáticas, tais como: relevância do registro e análise de dados, responsabilidade local e jurisprudência, abordagem integrada e trabalho em rede, medidas básicas de prevenção de acidentes em turismo e lazer e suas boas práticas, aperfeiçoamento de produtos e serviços a partir de uma lógica de excelência e tendo a segurança como diferencial, fortalecimento da experiência global do turista na localidade, desmistificação do gerenciamento de risco entre outros. Além disso, por estar ligada à principal instituição que analisa os acidentes de turismo e lazer no país (Associação Férias Vivas), a Consultoria incluiu no conteúdo dessas ações dados estatísticos e o panorama dos acidentes do país.

Foi incrível o nível de informação. A exposição dos acidentes já ocorridos nos levaram a reflexões importantes como turista e como ator dentro da cadeia de desenvolvimento. É uma temática que precisa ser abordada constantemente e capacitar os empresários, bem como sensibilizar o turista, poder público, vereadores e sociedade civil para criação de politicas públicas de segurança no turismo.

MADALENA CARNEIRO • PARTICIPANTE DA PALESTRA CULTURA DA SEGURANÇA NO TURISMO

Sobre a consultoria

Silvia Basile

Constituímos, em 2002, a Associação Férias Vivas que já trabalhou na elaboração de 41 Normas Técnicas ABNT NBR de Turismo de Aventura, sendo 17 Normas Técnicas internacionais ABNT NBR ISO. Junto com embaixadores e parceiros, criamos assim padrões de qualidade e segurança nas atividades de turismo no Brasil. Em 20 anos de atuação na área de conscientização e prevenção de acidentes no turismo, esta vivência proporcionou aos consultores da Associação Férias Vivas a capacidade analítica e a experiência prática para a implantação de projetos de gerenciamento de risco em destinos de turismo. Nossa articulação com o setor público se faz eficaz ao comprovar que iniciativas de sensibilização e gestão da segurança são essenciais para o desenvolvimento responsável do turismo.

  • sbasile@feriasvivas.org.br